Maschera

Olho e o que vejo!
Ar pálido sem sangue,
Nos olhos marcas de vazio,
O peso da vegonha de cabis.
Emoções que jazem num rio
Mas que, sorrio quando sorris.

Tiago de Carvalho
2011 Coimbra
07:30 a.m
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Amor, Carvalho, coimbra, Ensaio, Idiossincrasia, itiago, Maschera, pensar, poesia, poeta, sentir, Tiago, Uncategorized, Valentim, Vermelho. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s