Novo Sentir

Sentir que se pode estar parado
E caminhar depressa.
É o que sinto neste bocado
Neste acto nesta peça.
O medo foi-se
A vontade acorda
Viver em vento Oiro
Sentir como se o nada não houvesse.

Agradeço o novo sentir
A nova maneira de estar.
Graças ao saber ouvir
Viver e saber estar.

Ass: Tiago de Carvalho,
(meu novo heterónimo)

Anúncios
Esta entrada foi publicada em coimbra, pensar, poesia, poeta, sentir, Uncategorized com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Novo Sentir

  1. larizaqueo diz:

    Maravilhosa poesia!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s